Uma zona (quase totalmente) livre de algoritmos

Alô, pensante! Dawton Valentim aqui.

Este pedacinho de chão loteado recebe o nome de palavra puxa palavra em homenagem a (ou por influência de) um conto de Machado de Assis e surgiu como efeito de uma das muitas crises de identidade digital que tive ao longo de mais de 13 anos de presença on-line.

A tentativa é simples: construir um espaço de subjetividade e reflexões sobre o tempo (presente, passado e futuro) sem a interferência frustrante dos algoritmos e dos feeds de redes sociais, resgatando a boa e velha intimidade da caixa de entrada de e-mails para conversas de fôlego e sem pressa. Em outras palavras, esta é um newsletter essencialmente de crônicas, mas, como elas vêm da mente de um professor, é impossível que ela seja “apenas” isso.

Por isso, a palavra puxa palavra tem um cantinho chamado “Lousa Digital”, no qual você encontra aquilo que é feito para ser mais “útil”, como curadorias de conteúdos, notícias e links importantes. E você pode optar por receber atualizações apenas dessa parte da newsletter. Clicando aqui, você encontrará uma tela semelhante à da imagem abaixo. Daí, é só desativar as notificações do fluxo principal, palavra puxa palavra, e manter as da Lousa Digital:

Subscribe to palavra puxa palavra

uma ode ao tempo em formato de crônicas ou uma curadoria de links e ideias sobre educação. depende do dia. sempre sem compromisso com algoritmos.

People

Dawton Valentim | @dawtonv

Linguista aplicado, professor, revisor de textos e crônico. 97coisasaomesmotempo. Na internet, desde 2009, e sobrevivendo. É, nem eu sei como. 🤷🏾‍♂️